Quais Militares já estiveram no poder do Brasil?

Quais militares estiveram no poder do Brasil
Quais militares estiveram no poder do Brasil

Quando olhamos para a história de nosso país, podemos perceber um fato muito claro: nossa nação teve pouquíssimos presidentes militares. Mas por que isso aconteceu? Entenda todo o contexto histórico e conheça quais militares já estiveram no poder do Brasil. Boa leitura!

O fenômeno Jair Bolsonaro e o contexto histórico

(Brasília – DF, 02/06/2021) Pronunciamento do Presidente da República, Jair Bolsonaro.
Foto: Anderson Riedel/PR

Quando Jair Messias Bolsonaro subiu às rampas em 2018 com a faixa presidencial em seu corpo, ele estava fazendo história. Ele foi o terceiro militar a assumir a presidência do Brasil através das urnas.

Porém, antes dele, já tivemos dois presidentes que saíram da caserna e também foram eleitos através do voto popular, que são Hermes da Fonseca (1910-1914) e Eurico Dutra (1946-1950).

Embora Hermes e Eurico estejam separados por 30 anos de distância, eles eram muito semelhantes no quesito popularidade. Ambos tinham uma boa fama dentro dos quartéis e estavam em um posto muito elevado na hierarquia militar.

Hermes foi Marechal e ministro de guerra do então presidente Affonso Pena. Já Eurico Dutra era general e também era o “cabeça” do Ministério da Guerra, durante o governo de Getúlio Vargas.

Os dois, cada um em sua época, aplicaram medidas de modernização das forças armadas, o que gerou, por consequência, um grande apoio entre os militares.

Tanto Hermes da Fonseca quanto Eurico Dutra venceram com relativa tranquilidade as eleições. Na época de Hermes, eram relatadas algumas fraudes com as urnas, mas, já na época de Dutra, tudo era mais seguro se comparado com a década de 20.

Um fato interessante é que Eurico Dutra recebeu o apoio do então presidente Getúlio Vargas, o que garantiu uma base muito forte.

Quando Hermes da Fonseca estava para ser candidato, o seu rival era ninguém mais ninguém menos que o senador Ruy Barbosa (BA), que, em seus discursos registrados em documentos, ataca o rival usando o argumento de que ele tinha uma origem militar.

De acordo com Ruy, todo e qualquer militar que assumisse a presidência do país transformaria tudo em uma ditadura.

O governo de Hermes da Fonseca teve muitos erros e desastres, entretanto, Eurico Dutra conseguiu estabilizar a democracia durante o seu mandato.

Militares que assumiram o poder

O Brasil também já viveu momentos de confusão. E, em um dessas ocasiões, tivemos 7 militares que assumiram a presidência sem o apoio da população, ou seja, sem o voto.

Os dois primeiros foram Deodoro da Fonseca e Floriano Peixoto, que protagonizaram a queda da monarquia em 1889. Depois, em 1964, tivemos mais 5, que são Arthur da Costa e Silva, Humberto Castello Branco, Emílio Médici, Ernesto Geisel e João Figueiredo.

Abaixo, organizamos uma linha cronológica para que facilite você a se situar no tempo, confira:

● Governo Castelo Branco (1964-1967)

● Governo Costa e Silva: (1967-1969)

● Governo Emílio Médici (1969-1974)

● Governo Geisel (1974-1979)

● Governo Figueiredo (1979-1985)

Um pouco sobre cada presidente que tomou o poder

Fizemos uma biografia sobre cada presidente que tomou o poder para que você consiga entender melhor sobre a realidade em que cada um estava inserido.

1964-1967: Humberto Castello Branco: Natural de Fortaleza, Ceará, foi um militar exemplar e se destacava muito dos demais. Participou da segunda guerra mundial e foi considerado um grande estrategista.

Foi diretor de uma escola militar, pois tinha o objetivo de transmitir o seu conhecimento aos seus alunos.

Estudou na França e fez estágios no Estados Unidos.

Costa e Silva: (1967-1969): Nasceu em Taquari, no interior do Rio Grande do Sul. Um fato marcante do seu governo foi o crescimento exponencial do PIB, para 15,72%. E também para um aumento significativo de 10,68% da renda per capita por conta de medidas para o apoio da população.

Como Castello Branco, Costa e Silva também estagiou nos Estados Unidos e foi adido militar na Argentina.

Na presidência da república, extinguiu o Ministério da Justiça e tomou medidas para o combate à inflação.

Além disso tudo, foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem Militar da Torre e Espada, em Portugal.

Emílio Médici (1969-1974): Nascido em Bagé, Rio Grande do Sul, Médici marcou a história do país através do famoso acontecimento chamado de milagre brasileiro que registrou um crescimento de 55,84% do PIB.

Filho de um italiano e de uma uruguaia, foi adido militar nos Estados Unidos e comandou, pouco tempo depois, o terceiro exército, em Porto Alegre. Foi um grande amigo de costa e Silva.

Geisel (1974-1979): Ernesto Geisel nasceu em Bento Gonçalves, município do Rio Grande do Sul, e foi o quarto presidente durante o período conhecido como Regime Militar.

Ele é filho de imigrantes alemães e teve como fatos marcantes em seu governo a união de Guanabara com o Estado do Rio de janeiro, a separação do estado que hoje conhecemos como Mato Grosso do Sul, que, antes, era apenas um único estado chamado de Mato Grosso, além do reconhecimento da independência da Angola.

Figueiredo (1979-1985): Nascido no Rio de Janeiro que, na época, era o Distrito Federal, foi o último presidente do Regime Militar.

Iniciou a sua carreira militar aos 11 anos de idade no colégio militar de Porto Alegre e foi agraciado, ao fim de sua carreira, com duas medalhas, a Grã-Cruz da Ordem Militar de Avis de Portugal e a Grã-Cruz da Ordem Militar de Cristo de Portugal.

É responsável pela modernização do setor agropecuário e também pelo posicionamento do Brasil na agricultura. Ele também conseguiu baixar de forma considerável os preços do arroz e do feijão, naquela época.

Ele também marcou história construindo mais de 3 milhões de casas para um programa habitacional, chamado BNH (Banco Nacional de Habitação) que, posteriormente, foi unificado à Caixa Econômica Federal.

Como fatos marcantes de seu governo, podemos descrever a criação do estado de Rondônia, ampliação da Reforma Agrária no norte do país e o estabelecimento do reajuste salarial de forma semestral.

Uma história rica em detalhes

Como você mesmo pode perceber, o Regime Militar tem uma história riquíssima em detalhes com acontecimentos que geraram (e ainda geram) debates calorosos sobre o assunto.

Esperamos que você tenha gostado desse artigo. Aproveite e compartilhe com um amigo que se interessa por temas militares e história do Brasil!