Força Expedicionária Brasileira (FEB): A História

Força Expedicionária Brasileira

A Força Expedicionária Brasileira (FEB) foi a força militar aeroterrestre que representou o Brasil na Segunda Guerra Mundial, lutando ao lado dos Aliados na Campanha da Itália contra as Potências do Eixo. Neste postagem no blog, vamos conhecer um pouco mais sobre a história, a composição e as principais batalhas da FEB.

A história da FEB começa em 1942, quando o Brasil rompe relações diplomáticas com a Alemanha, a Itália e o Japão após os ataques de submarinos nazistas aos navios mercantes brasileiros no Atlântico Sul. Em agosto desse ano, o Brasil declara guerra aos países do Eixo e se alia aos Estados Unidos, que já tinham interesse em usar bases militares no Nordeste brasileiro para apoiar as operações na África e na Europa.

Créditos: Autor não encontrado

No entanto, o envio de tropas brasileiras para o front europeu só se concretiza em 1943, após uma série de negociações entre os governos de Getúlio Vargas e Franklin Roosevelt. O acordo previa que o Brasil enviaria uma divisão de infantaria com cerca de 25 mil homens para integrar o Quinto Exército dos Estados Unidos na Itália. Além disso, o Brasil também enviaria uma esquadrilha de aviação de caça com cerca de 400 homens para atuar sob o comando da Força Aérea do Exército dos Estados Unidos.

A FEB foi formada por voluntários civis e militares de todas as regiões do país, que passaram por um rigoroso treinamento nos campos de instrução no Rio de Janeiro e em São Paulo. A primeira leva de expedicionários partiu do porto do Rio de Janeiro em julho de 1944 e chegou à Itália em setembro do mesmo ano. A segunda leva partiu em setembro e chegou em outubro. A terceira e última leva partiu em fevereiro de 1945 e chegou em março.

Créditos: Autor não encontrado

A FEB foi incorporada à Força Aliada sob o comando do general norte-americano Mark Clark. Os brasileiros foram designados para atuar na região da Toscana, onde enfrentaram as tropas alemãs que defendiam a chamada Linha Gótica, uma série de fortificações construídas pelos nazistas ao longo dos Apeninos para impedir o avanço aliado rumo ao norte da Itália.

As principais batalhas da FEB foram:

  • Batalha de Monte Castello: ocorreu entre novembro de 1944 e fevereiro de 1945. Foi a mais longa e difícil batalha da FEB, que tentou por quatro vezes conquistar a posição estratégica do Monte Castello das mãos dos alemães. Na quinta tentativa, os brasileiros conseguiram tomar o monte com o apoio da artilharia norte-americana e francesa.
  • Batalha da Tomada de Montese: ocorreu entre 14 e 17 de abril de 1945. Foi considerada a mais sangrenta batalha da FEB, que enfrentou forte resistência dos alemães na cidade de Montese. Os brasileiros conseguiram capturar a cidade após intensos combates casa por casa.
  • Batalha do Vale do Pó: ocorreu entre 22 e 29 de abril de 1945. Foi a última grande ofensiva aliada na Itália, que visava cortar as rotas de retirada dos alemães pelo vale do rio Pó. A FEB participou dessa operação junto com outras unidades norte-americanas, francesas e britânicas. Os brasileiros se destacaram pela tomada das cidades
    de Collecchio, Fornovo di Taro, Aleardo, Zibello,Busseto, San Nicolò, Soragna ,Borgo San Donnino e Parma.

Força Expedicionária Brasileira: Conclusão

A FEB é um símbolo da história militar brasileira e da sua inserção no cenário internacional. A FEB também é um objeto de estudo e de memória coletiva, que envolve diferentes narrativas, discursos e monumentos sobre o seu papel na guerra e na sociedade brasileira. A FEB representa os valores de patriotismo, democracia e solidariedade que motivaram os seus integrantes a se alistarem para defender o Brasil e o mundo contra as forças do Eixo.