Desembargador de GO é Afastado após Polêmica por Pedido de Extinção da PMGO

Foto: Reprodução

O Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO) tomou uma decisão histórica na manhã desta segunda-feira, afastando o desembargador Adriano Roberto Linhares Camargo de seu cargo, após ele ter feito uma crítica contundente à Polícia Militar de Goiás (PMGO), defendendo a extinção da corporação. A proposta de afastamento foi feita pelo presidente do TJGO, Carlos Alberto França, e obteve a aprovação de 18 votos a favor e apenas 3 contra, durante uma sessão extraordinária do Órgão Especial.

A polêmica teve início quando o desembargador Camargo fez declarações públicas pedindo a extinção da PMGO, alegando que a corporação não estava cumprindo seu papel adequadamente e que a sociedade goiana seria melhor atendida por outras soluções de segurança pública. Suas palavras causaram um grande debate na sociedade e geraram reações fortes por parte das autoridades estaduais.

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado, que estava em uma missão internacional na China, reagiu de forma veemente às declarações do desembargador, classificando-o como “irresponsável”. Caiado enfatizou que o pedido de extinção da PMGO era um atentado contra o Estado Democrático de Direito e um desrespeito às instituições do estado de Goiás.

O governador destacou que sempre respeitou o Tribunal de Justiça e acredita que não há qualquer conivência com as declarações do desembargador. Ele defendeu que as palavras de Camargo deveriam ser avaliadas pelo Conselho de Ética e que medidas, como o impeachment, deveriam ser aplicadas. Para dar prosseguimento a esse processo, Caiado enviou um pedido de investigação ao corregedor, buscando que as devidas penas fossem aplicadas.

Diante da repercussão negativa de suas declarações, o desembargador Camargo divulgou uma nota na qual tentou esclarecer seu posicionamento, afirmando que a Polícia Militar de Goiás deve ser “admirada” e que continuaria com seu “valoroso trabalho”. No entanto, suas palavras não foram suficientes para conter a controvérsia e a pressão que se acumulou contra ele.

A decisão do TJ-GO de afastar o desembargador Adriano Roberto Linhares Camargo demonstra a seriedade com que as instituições goianas encaram a questão da segurança pública e reforça a importância da independência e do respeito entre os poderes do estado. O caso continuará a ser acompanhado de perto pela sociedade e pelas autoridades, à medida que se desenrola no âmbito do Conselho de Ética e das ações legais cabíveis.

Fonte: Metrópoles