Lição 8 de 12
Em andamento

Análise dos versos do hino e seu significado – Parte II

Tonny maio 19, 2024

Segunda parte

Deitado eternamente em berço esplêndido, Ao som do mar e à luz do céu profundo, Fulguras, ó Brasil, florão da América, Iluminado ao sol do Novo Mundo!

Neste verso, o autor se refere ao Brasil como um país que está deitado eternamente em berço esplêndido, ou seja, que tem uma posição geográfica privilegiada, que lhe confere uma beleza natural e uma riqueza de recursos.

O autor usa a metáfora do berço, que significa o lugar onde se nasce, onde se origina, onde se desenvolve.

O autor também usa o adjetivo esplêndido, que significa magnífico, admirável, excelente. O autor ainda usa a aliteração do som do mar e a luz do céu profundo, que significa a harmonia e a grandeza do ambiente natural do Brasil.

O autor também usa a metáfora de fulguras, ó Brasil, florão da América, que significa que o Brasil brilha, se destaca, se sobressai entre os demais países do continente americano.

O autor usa o substantivo florão, que significa a flor mais bela, a parte mais nobre, o ornamento mais vistoso. O autor também usa a metonímia da América, que significa o continente americano, onde o Brasil está situado.

O autor ainda usa a metáfora de iluminado ao sol do Novo Mundo, que significa que o Brasil recebe a luz e a energia do sol, que simboliza a vida, a força, a esperança, e que está no Novo Mundo, que significa o hemisfério ocidental, que foi descoberto pelos europeus na época das grandes navegações.

Significado de algumas palavras:

  • Deitado: estendido, reclinado, recostado.
  • Berço: lugar onde se nasce, onde se origina, onde se desenvolve.
  • Esplêndido: magnífico, admirável, excelente.
  • Fulgurar: brilhar, resplandecer, reluzir.
  • Florão: flor mais bela, parte mais nobre, ornamento mais vistoso.
  • Novo Mundo: hemisfério ocidental, continente americano, terras descobertas pelos europeus.

Do que a terra mais garrida Teus risonhos, lindos campos têm mais flores, “Nossos bosques têm mais vida”, “Nossa vida” no teu seio “mais amores”.

Neste verso, o autor se refere ao Brasil como um país que tem uma terra mais garrida, ou seja, mais enfeitada, mais adornada, mais colorida do que qualquer outra.

O autor usa a comparação dos risonhos, lindos campos que têm mais flores, que significa que o Brasil tem uma paisagem natural mais alegre, mais bonita e mais florida do que as outras terras.

O autor usa as aspas para citar trechos de uma canção popular da época, chamada “Caramuru”, que era uma homenagem ao Brasil.

O autor usa a expressão nossos bosques têm mais vida, que significa que o Brasil tem uma vegetação mais exuberante, mais diversa e mais rica do que as outras terras. O autor usa a expressão nossa vida no teu seio mais amores, que significa que o Brasil oferece mais felicidade, mais afeição e mais carinho aos seus filhos do que as outras terras.

Significado de algumas palavras:

  • Garrida: enfeitada, adornada, colorida.
  • Risonho: alegre, sorridente, promissor.
  • Lindo: belo, bonito, agradável.
  • Bosque: floresta, mata, selva.
  • Seio: parte interna, centro, âmago, essência.

Ó Pátria amada, Idolatrada, Salve! Salve!

Neste verso, o autor repete o mesmo verso que já foi usado na primeira parte do hino, para reforçar o seu sentimento de amor e de veneração pelo Brasil. O autor usa a interjeição salve, que significa saudação, cumprimento, homenagem. O autor repete a palavra salve para reforçar o seu sentimento de respeito e admiração pelo Brasil.

Significado de algumas palavras:

  • Pátria: nação, país, terra natal.
  • Idolatrar: venerar, adorar, reverenciar.
  • Salve: saudação, cumprimento, homenagem.

Brasil, de amor eterno seja símbolo O lábaro que ostentas estrelado, E diga o verde-louro desta flâmula

  • Paz no futuro e glória no passado.

Neste verso, o autor se refere ao Brasil como um país que deve ser um símbolo de amor eterno, ou seja, de um sentimento duradouro, inabalável e profundo.

O autor usa a metonímia do lábaro que ostentas estrelado, que significa a bandeira nacional, que exibe o cruzeiro do sul, uma constelação formada por cinco estrelas, que é um dos símbolos da nação. O autor também usa a metonímia do verde-louro desta flâmula, que significa o ramo de louro que está na parte inferior do círculo azul da bandeira, que é outro símbolo da nação.

O autor usa a personificação da flâmula, que significa a bandeira, que fala, que transmite uma mensagem. O autor usa a expressão paz no futuro e glória no passado, que significa que o Brasil deseja viver em harmonia e prosperidade no presente e no futuro, e que tem orgulho e honra de sua história e de suas conquistas no passado.

Significado de algumas palavras:

  • Símbolo: representação, imagem, sinal.
  • Lábaro: bandeira, estandarte, pendão.
  • Ostentar: exibir, mostrar, apresentar.
  • Verde-louro: cor verde do ramo de louro, símbolo de vitória e de honra.
  • Flâmula: bandeira, pavilhão, insígnia.

Mas, se ergues da justiça a clava forte, Verás que um filho teu não foge à luta, Nem teme, quem te adora, a própria morte.

Neste verso, o autor se refere ao Brasil como um país que deve erguer da justiça a clava forte, ou seja, que deve defender os seus direitos e os seus ideais com firmeza e coragem. O autor usa a metáfora da clava, que significa um porrete, uma arma, um instrumento de combate.

O autor também usa a metáfora da justiça, que significa o princípio moral, a virtude, a equidade. O autor usa a expressão verás que um filho teu não foge à luta, que significa que o Brasil pode contar com a lealdade e a bravura dos seus filhos, que não se acovardam nem se rendem diante das dificuldades e dos desafios.

O autor usa a expressão nem teme, quem te adora, a própria morte, que significa que os brasileiros que amam o seu país estão dispostos a enfrentar qualquer perigo ou sacrifício para proteger a sua pátria.

Significado de algumas palavras:

  • Erguer: levantar, elevar, erguer.
  • Clava: porrete, arma, instrumento de combate.
  • Justiça: princípio moral, virtude, equidade.
  • Fugir: escapar, evitar, esquivar-se.
  • Temer: recear, temer, assustar-se.

Terra adorada Entre outras mil És tu, Brasil, Ó Pátria amada!

Neste verso, o autor repete o mesmo verso que já foi usado na primeira parte do hino, para reforçar o seu sentimento de amor e de devoção pelo Brasil.

O autor usa a hipérbole de entre outras mil, que significa entre muitos outros países, para destacar a preferência e a singularidade do Brasil. O autor usa a interrogação retórica és tu, Brasil, que significa é você, Brasil, para enfatizar a identificação e a admiração pelo país.

O autor repete a expressão ó pátria amada, que já foi usada nos versos anteriores, para reforçar o seu sentimento de afeto e de respeito pelo Brasil.

Dos filhos deste solo és mãe gentil, Pátria amada, Brasil!

Neste verso, o autor se refere ao Brasil como a mãe gentil dos filhos deste solo, ou seja, a nação que acolhe e protege os brasileiros que nasceram ou vivem neste território. O autor usa a metáfora da mãe, que significa a origem, a fonte, a geradora.

O autor também usa o adjetivo gentil, que significa bondosa, generosa, benevolente. O autor repete a expressão pátria amada, que já foi usada nos versos anteriores, para reforçar o seu sentimento de amor e de gratidão pelo Brasil.

O autor termina o verso com o nome do país, Brasil, que é o ponto culminante e o fecho da segunda parte do hino.

Significado de algumas palavras:

  • Solo: território, chão, superfície.
  • Mãe: origem, fonte, geradora.
  • Gentil: bondosa, generosa, benevolente.

Esse foi o último verso do hino nacional brasileiro, que é uma obra poética e musical que expressa a identidade, a história e os valores do Brasil.

A sua letra foi escrita por Joaquim Osório Duque Estrada, em 1909, e a sua melodia foi composta por Francisco Manuel da Silva, em 1831.

O hino nacional brasileiro é composto por duas partes, cada uma com quatro estrofes. A primeira parte é uma evocação da independência do Brasil, que foi proclamada às margens do rio Ipiranga, em São Paulo, em 1822.

A segunda parte é uma exaltação da natureza, da cultura e do futuro do Brasil, que é representado pela bandeira nacional, que ostenta o cruzeiro do sul, uma constelação típica do hemisfério sul.