História do Corpo de Bombeiro Militar no Brasil

A História do Corpo de Bombeiro Militar no Brasil

O Corpo de Bombeiros Militar é uma instituição que tem como missão proteger a vida, o patrimônio e o meio ambiente das pessoas, através de ações de prevenção e combate a incêndios, salvamento, atendimento pré-hospitalar e defesa civil. Mas você sabe como surgiu essa profissão tão nobre e importante no Brasil?

A história do Corpo de Bombeiros no Brasil remonta ao século XIX, quando o país ainda era uma monarquia governada por Dom Pedro II. Em 1856, o imperador assinou um decreto que criava o Serviço de Extinção de Incêndio na cidade do Rio de Janeiro, então capital do Império. Esse foi o primeiro passo para a formação da primeira corporação de bombeiros do Brasil.

No entanto, somente em 1875 houve uma tentativa de estabelecer um serviço de bombeiros junto à Companhia de Urbanos da Guarda Policial da Corte. Essa companhia era formada por policiais que recebiam treinamento específico para atuar em casos de incêndio. Em 1880, foi criado o Corpo Provisório de Bombeiros da Corte, que contava com 30 praças e um oficial.

Em 1881, foi criado o primeiro Estado Maior em um Corpo de Bombeiros, que tinha como função planejar e coordenar as operações. Em 1882, foi inaugurado o primeiro quartel dos bombeiros na Praça da República. Em 1889, com a Proclamação da República, os Estados que possuíam melhores condições financeiras passaram a constituir seus próprios Corpos de Bombeiros.

Um dos primeiros Estados a criar seu Corpo de Bombeiros foi São Paulo, em 1891. Outros Estados que seguiram esse exemplo foram Minas Gerais (1897), Rio Grande do Sul (1919), Paraná (1920) e Bahia (1925). Cada Estado tinha sua própria legislação e organização dos bombeiros.

Em 1915, foi criado o primeiro regulamento geral dos bombeiros no Brasil, que estabelecia normas para o funcionamento das corporações estaduais. Em 1932, foi criado o Ministério da Guerra, que passou a ter jurisdição sobre os bombeiros militares. Em 1941, foi criado o Departamento Nacional dos Corpos de Bombeiros Militares, que tinha como objetivo unificar e padronizar as atividades dos bombeiros em todo o país.

Em 1957, foi criada a Liga Brasileira dos Corpos de Bombeiros Militares, uma entidade civil sem fins lucrativos que visava promover a integração e o intercâmbio entre as corporações estaduais. Em 1976, foi criada a Associação Nacional dos Corpos de Bombeiros Militares do Brasil (Ligabom), que substituiu a Liga Brasileira e passou a representar os interesses dos bombeiros junto aos poderes públicos.

Em 1988, com a promulgação da Constituição Federal, os bombeiros militares foram reconhecidos como forças auxiliares e reserva do Exército Brasileiro. A Constituição também determinou que cada Estado deveria organizar seu próprio Corpo de Bombeiros Militar ou mantê-lo vinculado à Polícia Militar.

Atualmente existem vinte e sete Corpos de Bombeiros Militares no Brasil , um em cada Estado da Federação e no Distrito Federal. Eles são subordinados aos respectivos governadores estaduais ou ao presidente da República (no caso do Distrito Federal).