Esquadrilha da Fumaça: Tudo o que precisa saber!

Esquadrilha da Fumaça sobrevoando sobre as águas e um mar
Foto: Reprodução

A expressão “Esquadrilha da Fumaça” evoca imediatamente a imagem extraordinária de aeronaves cortando os céus, deixando rastros de fumaça colorida que se entrelaçam em padrões ousados.

Essa equipe icônica de aviação não é apenas uma manifestação de habilidade aérea, mas uma tradição enraizada na história da Força Aérea Brasileira.

Neste mergulho na narrativa da Esquadrilha da Fumaça, exploraremos não apenas suas acrobacias impressionantes, mas também a evolução desde os primeiros dias com os T-6 até os céus contemporâneos, onde o A-29 Super Tucano desenha os contornos da paixão pela aviação e pelo Brasil.

Prepare-se para decolar em uma jornada fascinante pelos céus da tradição e inovação da Esquadrilha da Fumaça.

Esquadrão de Demonstração Aérea

Esquadrilha da Fumaça realizando uma manobra no céu
Foto: Reprodução

A Esquadrilha da Fumaça, uma das mais prestigiadas equipes de aviação do Brasil, teve sua origem na iniciativa de jovens instrutores de voo da antiga Escola de Aeronáutica, no Rio de Janeiro.

Durante suas horas de folga, esses pilotos dedicavam-se a treinar acrobacias em grupo, visando incentivar os Cadetes a confiarem em suas habilidades e na segurança das aeronaves utilizadas na instrução, motivando-os para a pilotagem militar.

Iniciando suas atividades com as aeronaves North American T-6, a Esquadrilha da Fumaça executava manobras precisas como “Loopings” e “Tounneaux” com duas aeronaves. Com o tempo, o grupo evoluiu para realizar acrobacias com três e, posteriormente, quatro aeronaves.

A primeira demonstração oficial ocorreu em 14 de maio de 1952, marcando o início de uma trajetória que transformaria a Esquadrilha em um ícone da aviação brasileira.

Em 1953, em resposta à necessidade de proporcionar uma melhor visualização das manobras, foram adicionados tanques de óleo aos T-6, resultando no apelido carinhoso “Esquadrilha da Fumaça”.

Em 1955, a Esquadrilha da Fumaça adquiriu cinco aviões de uso exclusivo, com distintivo e pintura próprios. A demanda por demonstrações cresceu, dando origem à função de Comunicação Social da Esquadrilha, aumentando sua visibilidade em diversas cidades do Brasil e do exterior.

Em 1963, a Esquadrilha foi transformada em “Unidade Oficial de Demonstração Acrobática da Força Aérea Brasileira”, tornando-se única no mundo a se apresentar com aviões convencionais até 1969. Nesse ano, sete jatos Super Fouga Magister foram incorporados, operando até 1972.

Após um breve período de inatividade, a Esquadrilha da Fumaça foi reativada na Academia da Força Aérea (AFA) em Pirassununga/SP. Em 1982, o Esquadrão de Demonstração Aérea (EDA) foi oficialmente criado, marcando uma nova fase na história da Esquadrilha.

Em 1983, os EMB-312 Tucano da EMBRAER foram adquiridos, sendo utilizados até março de 2013. A transição para os A-29 Super Tucano em 2013 marcou um novo capítulo na história da Esquadrilha, combinando tradição e tecnologia de ponta.

Atualmente, com mais de 70 anos de história e mais de 4000 demonstrações realizadas no Brasil e exterior, a Esquadrilha da Fumaça continua a emocionar plateias, representando a excelência da aviação militar brasileira e fortalecendo laços nacionais e internacionais.

Quanto tempo leva a apresentação da esquadrilha da fumaça?

A apresentação da Esquadrilha da Fumaça pode durar de 20 a 50 minutos. Para solicitar uma demonstração, é necessário enviar um ofício assinado ao Centro de Comunicação Social da Aeronáutica (CECOMSAER) com antecedência mínima de 4 meses.

As exibições da Esquadrilha da Fumaça são apresentações públicas, gratuitas, de caráter institucional, não cabendo, portanto, veiculações com propósito comercial ou de propaganda político-partidária.

Qual o avião é utilizado na esquadrilha da fumaça?

Esquadrilha da Fumaça
Esquadrilha da Fumaça em apresentação – Foto: (Marlon Costa/Pernambuco Press)

A Esquadrilha da Fumaça realiza suas apresentações aéreas com o avião A-29 Super Tucano, cuja fuselagem é habilmente adornada com as cores vibrantes da bandeira brasileira, criando desenhos cativantes no céu.

A aeronave escolhida para as performances é o A-29 Super Tucano, um avião turboélice versátil desenvolvido pela Embraer para missões de ataque leve e treinamento avançado.

Com uma velocidade máxima de 590 km/h e um alcance de 1.000 km, o A-29 Super Tucano demonstra um equilíbrio excepcional entre agilidade e eficiência.

Como ingressar na esquadrilha da Fumaça? Descubra seu Caminho da Força Aérea Brasileira

O sonho de fazer parte do Esquadrão de Demonstração Aérea e contribuir para a grandiosa história da Força Aérea Brasileira pode se concretizar de diversas formas, alinhadas à sua idade e escolaridade.

Na Esquadrilha, cada integrante, proveniente de diversas especialidades, é um militar da FAB que trilhou o caminho da carreira por meio de rigorosos processos seletivos e aprovação em conselhos especializados.

Se a sua aspiração é ser piloto, o ponto de partida é o ingresso no Curso de Formação de Oficial Aviador da Academia da Força Aérea.

Este curso, com 4 anos de duração e equivalente ao ensino superior, demanda não apenas dedicação acadêmica, mas também a conquista de determinadas horas de voo e aprovação em conselhos de avaliação.

Para aqueles que vislumbram atuar como mecânicos de aeronaves na Esquadrilha, o primeiro passo é o ingresso na Escola de Especialistas da Aeronáutica, uma instituição com equivalência ao ensino técnico.

A diversidade de especialidades na Esquadrilha da Fumaça não se limita apenas a pilotos e mecânicos. Profissionais de áreas como jornalismo, publicidade e propaganda, relações públicas, medicina e administração também encontram espaço, tanto para carreiras de longo prazo quanto para participações temporárias.

Assim, a escolha do seu percurso na Esquadrilha dependerá da sua área de interesse e do seu nível de escolaridade.

Para descobrir mais sobre as oportunidades de ingresso na Força Aérea Brasileira, acesse: www.fab.mil.br. Seu voo rumo a uma carreira empolgante na Esquadrilha da Fumaça pode começar agora!

Conclusão: O Legado em Ascensão da Esquadrilha da Fumaça

À medida que nossa narrativa sobre a Esquadrilha da Fumaça chega ao seu desfecho, torna-se evidente que essa equipe não é apenas um espetáculo aéreo, mas uma saga viva de paixão pela aviação e orgulho nacional.

Desde os primeiros acenos nos céus com os T-6 até as emocionantes performances contemporâneas com o A-29 Super Tucano, a Esquadrilha da Fumaça transcende a mera exibição aérea.

É uma celebração da habilidade técnica, da história militar e do espírito intrépido que molda a Força Aérea Brasileira.

Ao longo de mais de sete décadas, a Esquadrilha da Fumaça não apenas deslumbrou plateias no Brasil e no exterior, mas também serviu como embaixadora dos céus, representando a excelência da aviação militar brasileira.

Suas acrobacias, entrelaçadas com rastros de fumaça colorida, são um testemunho não apenas da perícia dos pilotos, mas também de um comprometimento inabalável com a tradição e a inovação.

O espetáculo aéreo, agora guiado pelo A-29 Super Tucano, continua a cativar e inspirar, marcando uma presença indelével nos corações daqueles que têm a sorte de testemunhar a dança celestial da Esquadrilha da Fumaça.

Enquanto as aeronaves desenham formas complexas no céu, elas também escrevem uma história de coragem, determinação e amor pelo Brasil.

Que a Esquadrilha da Fumaça continue a brilhar nos céus, inspirando gerações futuras a olhar para o alto com admiração, sabendo que, acima de tudo, a paixão pela aviação pode transcender fronteiras e escrever um legado duradouro nos anais da história aérea brasileira.