A História do Hino Nacional Brasileiro: Artigo Completo!

A História do Hino Nacional Brasileiro

A história do hino nacional brasileiro é profunda e cheia de curiosidades e informações ricas e profundas. Infelizmente, não encontramos grandes artigos sobre isso, e, por esse motivo, escrevemos esse post para você!

Aproveite e compartilhe a história do Hino Nacional Brasileiro com um amigo que se interessa pelo assunto. Boa leitura!

História do Hino Nacional

Fonte: Pixabay via Canva

Poucas pessoas sabem disto, mas o Hino nacional brasileiro nem sempre foi chamado assim. Ele já foi nomeado como Hino 7 de abril, em virtude da renúncia de D. Pedro I, de Marcha Triunfal e também, de forma definitiva, de Hino Nacional.

O Hino Nacional teve a sua música composta por Francisco Manuel da Silva e foi escrito por Joaquim Osório Duque Estrada. Ele ficou pronto apenas em 1831.

Na realidade, o então presidente da república Deodoro da Fonseca, que estava governando o país de forma provisória, promoveu um processo seletivo para a composição do Hino Nacional.

No total, participaram do concurso 36 brasileiros, entre eles, Francisco Braga, Leopoldo Miguez e Alberto Nepomuceno. O vencedor foi Leopoldo Miguze

Porém, tanto Joaquim Osório Duque Estrada quanto Francisco Emanuel da Silva eram muito famosos e a população os amava. Logo após a publicação do hino nacional, escrito por Leopoldo Miguez, a população manifestou a sua indignação.

Todos, ou a grande maioria, preferiram o hino que já havia sido composto pelos dois famosos artistas, Joaquim e Francisco.  O presidente, para não ir contra a vontade do povo, concordou e afirmou: “Prefiro o hino existente!”.

De forma astuta, Deodoro da Fonseca não descartou o trabalho de Leopoldo Miguez, mas utilizou-o como Hino da Proclamação da República!

Temos um belíssimo registro histórico de uma de 1922 do início do Hino Nacional em forma de partitura construído por Teodoro Braga. Veja abaixo:

A História do Hino Nacional Brasileiro, Primeira Partitura criada.
Fonte: Governo do Brasil/ Domínio público.

Confira o Hino Nacional Brasileiro:

“Hino Nacional do Brasil

Letra de Joaquim Osório Duque Estrada

Música de Francisco Manuel da Silva

Parte I

Ouviram do Ipiranga as margens plácidas

De um povo heroico o brado retumbante

E o sol da liberdade, em raios fúlgidos

Brilhou no céu da pátria nesse instante

Se o penhor dessa igualdade

Conseguimos conquistar com braço forte

Em teu seio, ó liberdade

Desafia o nosso peito a própria morte!

Ó Pátria amada

Idolatrada

Salve! Salve!

Brasil, um sonho intenso, um raio vívido

De amor e de esperança à terra desce

Se em teu formoso céu, risonho e límpido

A imagem do Cruzeiro resplandece

Gigante pela própria natureza

És belo, és forte, impávido colosso

E o teu futuro espelha essa grandeza

Terra adorada

Entre outras mil

És tu, Brasil

Ó Pátria amada!

Dos filhos deste solo és mãe gentil

Pátria amada

Brasil!

Parte II

Deitado eternamente em berço esplêndido

Ao som do mar e à luz do céu profundo

Fulguras, ó Brasil, florão da América

Iluminado ao sol do Novo Mundo!

Do que a terra, mais garrida

Teus risonhos, lindos campos têm mais flores

Nossos bosques têm mais vida

Nossa vida no teu seio mais amores

Ó Pátria amada

Idolatrada

Salve! Salve!

Brasil, de amor eterno seja símbolo

O lábaro que ostentas estrelado

E diga o verde-louro dessa flâmula

Paz no futuro e glória no passado

Mas, se ergues da justiça a clava forte

Verás que um filho teu não foge à luta

Nem teme, quem te adora, a própria morte

Terra adorada

Entre outras mil

És tu, Brasil

Ó Pátria amada!

Dos filhos deste solo és mãe gentil

Pátria amada

Brasil!”

Confira o decreto que deu vida a tudo isso:

“Decreto 171, de 20/01/1890:

“Conserva o Hino Nacional e adota o da Proclamação da República.”

O Governo Provisório da República dos Estados Unidos do Brasil constituído pelo Exército e Armada, em nome da Nação, decreta:

Art. 1º – É conservada como Hino Nacional a composição musical do maestro Francisco Manuel da Silva.

Art. 2º – É adotada sob o título de Hino da Proclamação da República a composição do maestro Leopoldo Miguez, baseada na poesia do cidadão José Joaquim de Campos da Costa de Medeiros Albuquerque.”

Vale ressaltar que, de acordo com a constituição de 1971, era considerado desrespeito bater palmas durante o hino nacional. Veja a letra da lei:

“Durante a execução do Hino Nacional, todos devem tomar atitude de respeito, de pé e em silêncio, os civis do sexo masculino com a cabeça descoberta e os militares em continência”.

Por fim, separamos um vocabulário para você compreender da melhor forma possível o Hino Nacional. Esperamos que você goste!

  •  Gentil – acolhedor, generoso.
  •  Fulguras – brilhar, despontar, reluzir.
  •  Florão – flor de ouro.
  •  Lábaro – bandeira, estandarte.
  •  Garrida – enfeitada, florida.
  •  Ostentas – mostra com orgulho.
  •  Flâmula – bandeira.
  •  Clava – arma primitiva de guerra, porrete, tacape.
  •  Vívido – intenso, tem vivacidade.
  •  Límpido – claro, puro, transparente, não está poluído.
  •  Resplandece – brilha, ilumina.
  •  Impávido – corajoso, destemido, valente.
  •  Cruzeiro – Constelação de estrelas do Cruzeiro do Sul.
  •  Colosso – grandes dimensões.
  •  Espelha – reflete.
  •  Ipiranga – rio onde às margens D. Pedro I proclamou a Independência do     Brasil.
  •  Plácidas – calmas, serenas, tranquilas.
  •  Retumbante – som que provoca eco.
  •  Fúlgidos – brilhante, cintilante.
  •  Penhor – garantia e segurança de liberdade.
  •  Brado – grito forte.
  •  Formoso – belo, bonito, lindo.
  •  Idolatrada – amada, cultuada.

O significado do Hino Nacional!

O Hino Nacional Brasileiro tem uma simbólica rica em significado dentro de cada palavra.

Lá, podemos observar a grandiosidade e a magnanimidade do território brasileiro, a riqueza da biodiversidade, a beleza das matas e do verde, da floresta. Enfim, todo o conjunto de paisagens que compõem a natureza da nossa nação.

Curiosidade pouco falada!

Pouco se fala sobre isso atualmente, mas sabe-se que o Hino Nacional possuía uma introdução que era atribuída a Américo Moura. Ela era entoada e conhecida! Acompanhe a letra abaixo:

“Espera o Brasil que todos cumprais o vosso dever!

Eia! Avante, Brasileiros! Sempre avante.

Gravai a buril nos pátrios anais o vosso poder!

Eia! Avante, Brasileiros! Sempre avante.

Servir o Brasil sem esmorecer,

Com ânimo audaz!

Cumpri o dever na guerra e na paz!

À sombra da lei,

À brisa gentil,

O lábaro erguer,

do belo Brasil!

Eia! Sus! Oh, sus!

Se alguma página da nossa história

Tiver do obscurecimento o cunho impressor

Que há que, a revivê-la, em luta inglória,

Se oponha as exigências do progresso!

Ó pátria!

Hás de Brilhar!

Do bem hás de conter a excelsa côrte!

Teus filhos

Hás de almejar

As normas da justiça,

E a paz de expor-te!

Pátria querida,

Estremecida!

Hás de, Brasil,

Sempre Brilhar.

Espero que tenha gostado do artigo sobre a história do hino nacional brasileiro. Compartilhe com seus amigos.